20 de julho de 2018

Plano museológico do Projeto Ecomuseu foi concluído

Museóloga Aluane de Sá, da Zanettini Arqueologia (que apresentou o plano museológico).

Entre os dias 9 e 12 de julho, a Zanettini Arqueologia apresentou aos municípios de Gentio do Ouro e Xique-Xique o plano museológico do projeto Ecomuseu que será implantado na área do empreendimento do Complexo Eólico Capoeiras & Assuruá, e no seu entorno, como condicionante exigida à CER pelo órgão federal IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

 

O plano museológico apresentado vinha sendo construído, desde 2017, através de três rodadas de reuniões públicas nas localidades previstas para funcionar os primeiros núcleos  do Ecomuseu, conforme estabelecido pela Zanettini Arqueologia. O nome escolhido foi Ecomuseu Chapada Velha, decidido pela maioria das sugestões. Chapada Velha já era também o termo usado pela CER quando fazia referência à região e, se tratando de Turismo, fica alinhado ao mesmo nome do circuito, dentro do território turístico Chapada Diamantina, ao qual pertencem os municípios de Gentio do Ouro e Xique-Xique: Circuito Chapada Velha. Conforme o mapa, são seis núcleos iniciais:

Representantes do poder público municipal de Gentio do Ouro, durante reunião.

1 - Núcleo Velho Chico (cidade de Xique-Xique).
E cinco núcleos no município de Gentio do Ouro:
NC - Núcleo Central Capoeiras & Assuruá (dentro da área do empreendimento Complexo Eólico Capoeiras & Assuruá);
2 - Núcleo Tabuleiro (povoado de Buriti);
3 - Núcleo Santo Inácio (vila de Santo Inácio);
4 - Núcleo Assuruá (vila de Gameleira do Assuruá);
5 - Núcleo Garimpar (cidade de Gentio do Ouro).

No programa de recursos financeiros do projeto, foi apresentado que os custos operacionais do Núcleo Central Capoeiras & Assuruá serão arcados pelas Centrais Eólicas Assuruá S.A., enquanto os demais núcleos serão responsáveis pelos custos operacionais.

 

O Secretário de Turismo de Gentio do Ouro, Oscar Guedes, que não concorda com esse programa de recursos financeiros apresentado, por estar em desencontro com o exigido pelo IPHAN, por ser injusto ao beneficiar principalmente a CER, por apresentar riscos aos núcleos do entorno do complexo questionou da Zanettini Arqueologia, durante a reunião realizada no dia 10 de julho, na Prefeitura de Gentio do Ouro, solicitando que as Centrais Eólicas Assuruá, também custeie os demais núcleos, ou pelo menos o básico, para que os núcleos antena "andem com as suas próprias pernas".

 

A Zanettini Arqueologia registrou o questionamento e, embora o plano museológico já tenha sido apresentado também ao IPHAN, este ainda poderá se manifestar se está de acordo ou se fará reajustes.